POETAS DO BRASIL

Blog para divulgar poetas brasileiros e estrangeiros que têm participado das atividades do Congresso Brasileiro de Poesia, realizado anualmente na cidade de Bento Gonçalves/RS, sempre na primeira semana de outubro

segunda-feira, março 03, 2008

ANTONIO MIRANDA — Antonio Miranda é poeta e romancista.
Professor da Universidade de Brasília, tem seus textos publicados e apresentados em teatros de diversos países, e em várias línguas.
Seus livros mais conhecidos são “Tu País está Feliz” (em português e em espanhol), “Per Ver Sos”, “Retratos e Poesia Reunida” e “Despertar das Águas”.
Seus poemas também podem ser lidos na Internet:
www.antoniomiranda.com.br

DEBAIXO DA PELE

© ANTONIO MIRANDA

Sobre a pele
outras peles
como armaduras;
sob a pele
outras peles
como tessituras
indeléveis.

Como camadas
no solo ermo
de cebola ardida:
uma inscrição
inconformada.

Quem é que habita as profundezas
do ser? Com certeza é outro
na superfície mais externa
de sua conformidade.

É-se o quê? Sujeito a que desígnios?

Vestir-se
de todas as peles, fantasiar-se
e desvestir-se de véus
como lâminas
acesas.

Sujeito.

Todos os que fomos
sobrevivem em nós
ostentando perdas e ganhos.

3 Comentários:

Blogger Ricardo Mainieri disse...

Poeta que ostenta não só a madureza na idade, como em sua tessitura de versos.
Profundidade, domínio técnico e lirismo caracterizam esta peça literária.

Abs.

Ricardo Mainieri

3:12 PM  
Blogger SAM disse...

A minha alegria ao ver este grande poeta homenageado neste espaço é muito grande. Antonio Miranda é homem das letras e sabedoria. Desde adolescente já exercia sua atividade poética fundando em 1956, o jornal estudantil " A voz da Juventude", em Nova Iguaçu , RJ, onde estudou por um período, quando já escrevia poemas e sonetos.

Escrevia desde 1949 para revistas infantis, tendo sido premiado em 1953, com um livro de um conto irradiado.

Tive a grande honra de ler um poema de Antonio Miranda sobre o mito das vítimas de Iemanjá, na Lagoa de Abaeté, enviado a mim pelo poeta, datado mais ou menos de 1954.

Em 1955, escreveu um longo poema: Azyx Paraíro Perdido, exaltando as belezas da nossa terra - uma terra imaginária paradisíaca dentro da Amazônia.

Antonio Miranda estava com um projeto de resgatar a sua incursão poética na fase de sua adolescência.

Grande abraço

6:19 PM  
Blogger SAM disse...

A minha alegria ao ver este grande poeta homenageado neste espaço é muito grande. Antonio Miranda é homem das letras e sabedoria. Desde adolescente já exercia sua atividade poética fundando em 1956, o jornal estudantil " A voz da Juventude", em Nova Iguaçu , RJ, onde estudou por um período, quando já escrevia poemas e sonetos.

Escrevia desde 1949 para revistas infantis, tendo sido premiado em 1953, com um livro de um conto irradiado.

Tive a grande honra de ler um poema de Antonio Miranda sobre o mito das vítimas de Iemanjá, na Lagoa de Abaeté, enviado a mim pelo poeta, datado mais ou menos de 1954.

Em 1955, escreveu um longo poema: Azyx Paraíro Perdido, exaltando as belezas da nossa terra - uma terra imaginária paradisíaca dentro da Amazônia.

Antonio Miranda estava com um projeto de resgatar a sua incursão poética na fase de sua adolescência.

Grande abraço

6:29 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial